Notícias

Evangelizando as Famílias a Serviço da Paz

Notícias, Todas | 29.jul.2018

“Evangelizando as Famílias a Serviço da Paz” foi o tema do XV Congresso da Região Centro-Oeste do ECC.  “Nada melhor que trabalhar em família por uma boa causa como essa”! Esse foi o sentimento da Família Medeiros, que teve a alegria de poder servir ao Senhor reunida neste Congresso.

Jorge e Sueli, fizeram o ECC em 1991 em Presidente Prudente – SP , junto com outros casais que tiveram como missão trazer o Encontro de Casais com Cristo para Campo Grande – MS, onde puderam trabalhar para a realização do primeiro ECC de Campo Grande – MS realizado na Paróquia São João Bosco logo em seguida.

O casal com 35 anos de matrimônio e três filhos, Edgar e Rafael frutos do seu amor e Alexandre acolhido em seus corações,  teve a alegria de poder trabalhar neste Congresso na Equipe de Círculo e na Hospedagem e ver seus filhos, noras e netos também trabalhando.

Edgar e sua esposa Caroline, casados a 9 anos, pais de Leandro e Giovana; e Rafael e sua esposa Márcia, casados a 10 anos, pais de Lucas e Luiza, fizeram juntos o 42º ECC da Paróquia São João Bosco e trabalharam neste Congresso.

Os pequenos Lucas e Luiza tiveram uma participação especial neste Congresso, ao encenarem a Anunciação do Anjo Gabriel a Nossa Senhora.

Isso reforça a passagem bíblica : “Ensina a criança no caminho em que deve andar; e até quando envelhecer não se desviará dele. (Provérbios, 22:6)

 

Valores cristãos brotados na família mudam a sociedade

Notícias, Todas | 29.jul.2018

Com uma palestra bastante animada, o casal Almir e Consuela mostraram aos participantes do XV Congresso da Região Centro-Oeste do ECC que é possível transformar a sociedade com base nos valores cristãos, principalmente os que brotam da família.

Eles explicam que diálogo e serviço são meios fundamentais para essa mudança. “À medida que a família cristã acolhe o Evangelho e amadurece na fé, torna-se comunidade evangelizadora”, completam.

Os palestrantes foram além e acrescentaram que não basta apenas levar a Palavra de Deus ao mundo, mas o núcleo composto pelo casal e filhos deve irradiar a Boa Nova. Isso é possível sendo “Igreja em Saída “, como propõe Papa Francisco.

Nesse contexto, o ECC também é uma excelente fonte de renovação dos valores cristãos e transmissão do Evangelho, já que traz famílias para a vida em comunidade.

Almir compara a Igreja com uma colcha de retalhos, repletas de diferenças. Porém, a mensagem que deve ser passada é uma mensagem de alegria, é dessa forma que o anúncio deve ser feito.

Os palestrantes acrescentam que todo esse trabalho deve ser feito com muito carinho, cuidado e atenção, sem jamais esquecer que a casa é o porto-seguro e que também deve receber uma parcela da atenção do casal.

“Filhos precisam de um referencial e o casal precisa de diálogo. Não é falar sobre as contas ou sobre o que acontece com o vizinho, mas ter um tempo para falar sobre os sentimentos. Olhar para a joia rara que é o esposo\esposa”, conclui.

Pesquisadora alerta: ideólogos de gênero querem destruir a família!

Notícias, Todas | 29.jul.2018

Um alerta foi feito aos participantes do XV Congresso da Região Centro-Oeste do ECC: ideólogos de gênero querem destruir a família. Na última palestra do sábado (28), a pesquisadora Ana Laura Almeida Dias fez um apanhado histórico dessa corrente de pensamento cujo objetivo é descontruir o conceito de masculino e feminino.

Ela também deu exemplos de como uma sociedade pode ir à bancarrota ao abraçar essas ideias e revelou as tentativas de implantar politicamente essa ideologia no sistema de educação.

É muito simples entender o que pensam os adeptos dessa corrente: não existe uma ordem natural definida por Deus evidenciada física e biologicamente. Cada ser humano teria o “direito” de escolher se quer ser homem, mulher ou até mesmo criar outras categorias conforme a sua vontade.

A origem dessa forma de pensamento, explica Ana Laura, teve suas bases em Karl Marx. Esse filósofo e sociólogo pregava uma sociedade sem classes sociais, sem o direito à propriedade privada e sem Estado. Ele enxergava na família uma forma de opressão e por isso era preciso combatê-la.

O problema, segundo Ana Laura, é que vários pesquisadores deram continuidade nesse trabalho de convencer a sociedade de que essa ideologia era a mais correta, passando pelo feminismo até usar o gênero para combater o núcleo formado pelo homem, mulher e seus filhos.

“É difícil enxergar uma ideologia porque ela se fragmenta em termos”, afirmou a pesquisadora. Essa batalha acontece no campo das ideias, dos conceitos. “Os seus proponentes usam o gênero como ferramenta de controle social, para a destruição da família”, alerta.

Por isso, eles simplesmente querem impor que a biologia e a realidade física pode ser facilmente transposta por aquilo que as pessoas querem acreditar.

Hoje, os ideólogos de gênero pregam que uma criança, nesse sentido, nasceria “neutra” e escolheria ser homem, mulher ou qualquer outra coisa com base no que ela “sentisse” interiormente. “Quem promove isso, coloca como uma coisa bonita”.

Na Suécia, citou Ana Laura, a ideologia de gênero foi inserida dentro das leis. No sistema público de educação, os pais são praticamente isolados das crianças. Quando pequenas, são enviadas para creches onde passam todo o dia e durante todo o ciclo escolar são doutrinados a crerem que não existe diferença entre meninos e meninas.

Como sinais de decadência, cita a pesquisadora, este país tem altas taxas de estresse entre adultos, altos índices de divórcios e de abortos sucessivos (prática legalizada por lá).

No Brasil, houve uma tentativa de implantar o termo “ideologia de gênero” na Política Nacional de Educação. Pode ser apenas um termo, mas o exemplo acima mostra o estrago que ele pode fazer uma vez inserido na lei. No fim, os parlamentares conseguiram extirpá-lo do projeto, mas Ana Laura alerta que grupos que defendem essa corrente de pensamento não vão descansar até cumprirem com seus objetivos.

Formação é fundamental para o aperfeiçoamento das equipes dirigentes

Notícias, Todas | 28.jul.2018

O treinamento está para um atleta como a formação está para um integrante das equipes dirigentes do ECC. É por meio do aprofundamento na doutrina da Igreja, e principalmente sobre o Documento Nacional sobre o Encontro de Casais com Cristo, que a preparação para os trabalhos ficam completos, diminuindo as dificuldades e uniformizando os encontros.

Esta foi a mensagem deixada pelo casal assessor arquidiocesano de formação de Campo Grande, Eulálio e Elza, durante palestra no XV Congresso Centro-Oeste.

“As formações oferecem subsídios, orientações e pistas, levando os casais aos estudos e expansão de suas atuações nas diversas áreas pastorais de sua comunidade, indo ao encontro principal do ECC: preparar o casal para servir a comunidade”.

Entre os benefícios das formações, segundo os palestrantes, está o desenvolvimento de casais como agentes de pastoral.

“Uma boa formação deve ser contínua e pensada. Deve suscitar o desejo de aprender, estreitar a relação com os conhecimentos, despertar para o sentido da função e do trabalho que a gente desempenha para ser desenvolvido e a capacidade de autoavaliação”, disseram Eulálio e Elza

O casal acrescenta que os estudos devem ser aplicados em participantes de qualquer hierarquia no encontro, criando um equilíbrio entre experiência e renovação. “Só a vontade não basta, é preciso estudar”, completou.

Amor gerado na família é canalizado para a vida em comunidade na Igreja

Notícias, Todas | 28.jul.2018

Admirados com o relacionamento entre os membros das primeiras comunidades cristãs, exclamavam os pagãos: “vede como eles se amam!”. Essa frase deve ecoar ainda hoje nos corações dos fiéis, de modo que a Igreja continue a serviço da unidade e da paz a partir das famílias.

Esse foi o tema da palestra ministrada pelo casal Roque e Verônica no segundo dia do XV Congresso da Região Centro-Oeste do ECC, neste sábado (28). Eles traçaram uma relação entre a caridade que deve existir nas atividades pastorais com aquela que brota da doação entre os esposos, e destes para com os filhos.

“Tudo se ordena, tudo se conjuga, tudo é conseguido pela unidade. Tudo se une e se conecta com o amor”, disse Roque.

Para ilustrar suas ideias, ele recorda que Deus entregou toda a criação para que Adão e Eva pudessem não apenas usufruírem dela, mas pela descendência dar continuidade ao projeto que Ele havia idealizado.

“Em um núcleo familiar entre homem e mulher o próprio Deus se perpetua nele. E assim se formam as primeiras comunidades: as familiares. Depois da comunidade familiar Ele então cria a Igreja. Ele cria a família, a família vai para a Igreja e a Igreja então olha para a família”, lembra.

Se o amor entre marido e mulher, pais e filhos, se converge para a Igreja, o mesmo acontece quando reina o ódio e a violência dentro dos núcleos familiares e por isso atitudes como essas devem ser combatidas.

“Todo o amor é canalizado para a Igreja. Nela, se vive a unidade”, disse o palestrante. Não são raros casos de conflitos entre membros de uma comunidade católica, mas ainda assim, como mãe e mestra, a Igreja nunca deixa de zelar pelos seus filhos. E todos os batizados que dela fazem parte são chamados a amar cada vez mais.

Com Jesus, Maria e José como exemplos, famílias devem ser berço de paz e harmonia

Notícias, Todas | 28.jul.2018

Tendo Jesus, Maria e José como modelos, as famílias devem ser exemplos de obediência a Deus e à fé cristã, transmitindo aos filhos os valores que podem ajudar a construir a paz entre os homens.

Essa foi uma das mensagens deixadas pelo casal Linaldo Sá Pessoa e Neusa Sá Pessoa na primeira palestra no segundo dia do XV Congresso da Região Centro-Oeste do ECC, neste sábado (28), em Campo Grande.

Diante disso, eles ressaltaram as influências negativas que vêm principalmente da televisão, das redes sociais e tecnologias de modo geral que contribuem para aumentar a crise pela qual passam muitas famílias atualmente.

São conteúdos cujo único objetivo é ruir o projeto de Deus na Terra, que criou homem e mulher, um para o outro, como carne da mesma carne e ordenou “sede fecundos” (Gn 1, 28). “É importante que nós saibamos o que os nossos filhos estão vendo e conversar. Quando a gente forma nossos filhos, eles vão saber o que é bom”.

Cristo, segundo os palestrantes, deu ainda mais sentido a esse plano para a salvação ao escolher nascer dentro do seio familiar. Gerado pelo Espírito Santo no ventre da Virgem Maria, teve São José como pai adotivo, que foi casto até o fim e hoje é modelo para os homens que abraçam a vocação do matrimônio.

Esposos e esposas, dessa forma, são convidados a compreender que seus lares são Igrejas Domésticas, onde Cristo deve ser o centro. E assim, será possível que a sociedade tenha cada vez mais pessoas envolvidas com o projeto Dele.

“É na nossa casa que os nossos filhos, os nossos descendentes, têm que ter essa visão, esse amor: na nossa Igreja Doméstica”, completaram Linaldo e Neuzinha.

Que os casais saiam do Congresso como “sal da terra, luz do mundo”, deseja diretor espiritual

Notícias, Todas | 28.jul.2018

“Se os casais saírem daqui sendo sal da terra e luz do mundo, já cumpriu a sua missão esse encontro”, afirma o diretor espiritual do XV Congresso da Região Centro-Oeste do ECC, Padre Paulo Sérgio Vital.

Ele recorda que para atingir esse objetivo, as equipes de trabalho tiveram uma intensa, e ao mesmo tempo simples, preparação “com muita oração, reflexões e momentos de espiritualidade em grupo”.

Além disso, a imagem peregrina de Nossa Senhora da Abadia, padroeira do Congresso, passou por todas as comunidades das dioceses do Centro-Oeste.

Tudo isso para proporcionar aos participantes um momento como “um oásis, onde a pessoa vem se abastecer, tanto com as orientações para o ECC como da Igreja para a família, para os casais. Para que todos se integrem na busca pela transformação da sociedade por meio da família”, completa.

É por isso que o congresso se propõe a levar, além de entusiasmo, “os princípios do Evangelho para a organização do ECC como um serviço-escola, onde as pessoas possam refletir, conhecerem mais a Igreja e Deus, pois esse é o caminho para a transformação desse mundo”, conclui o sacerdote.

Ao reunir pessoas de vários lugares, Congresso ajuda a promover a unidade

Notícias, Todas | 28.jul.2018

Ao reunir pessoas de diferentes estados brasileiros, o XV Congresso da Região Centro-Oeste do ECC ajuda a promover a unidade que a Igreja pede aos fiéis. Especificamente para o Encontro de Casais com Cristo, permite aplicar conhecimentos e práticas adquiridas em lugares diferentes para que o serviço cresça cada vez mais.

“Temos um sentimento de orgulho e gratidão. Vamos sair daqui no domingo todos transformados. Os casais vão levar para as suas dioceses muitos conteúdos e recursos para ajuda-los”, diz o casal assessor do assistente eclesiástico nacional, Antônio Bandeira de Assunção e Cleide Ribeiro de Assunção.

Eles pertencem à diocese de Brasília e acompanham Dom Benedito Gonçalves dos Santos em todos os congressos das demais regiões brasileiras e já coordenaram o congresso Centro-Oeste em 2002, em Brasília.

“Nós que já vivemos o congresso como coordenadores-gerais, dizemos que é muito gratificante”, afirma o casal, reconhecendo a complexidade que envolve o trabalho de organização com todas as equipes participantes.

Programação – O XV Congresso da Região Centro-Oeste do ECC começou na sexta-feira (27) e termina no próximo domingo (29). Neste segundo dia, as atividades começaram às 7h20 e estão previstas para terminar às 20h20.

Congresso ajuda casais a desempenharem cada vez mais a missão de anunciar a Ressurreição

Notícias, Todas | 28.jul.2018

O XV Congresso da Região Centro-Oeste do ECC é uma excelente oportunidade para que os casais, renovados com essa nova experiência de encontro, desempenhem cada vez mais a sua missão de “dar testemunho da Ressurreição”, diz o assistente eclesiástico nacional Dom Benedito Gonçalves dos Santos.

Para ele, isso é possível graças à troca de experiências proporcionadas pelas palestras, círculos e painéis.

“Muitos vêm mostrar suas riquezas e belezas e ver riquezas e belezas de outras regiões que eles não conhecem. Para o congressista, seja ele religioso ou casal, voltando à sua diocese, possam então pegar aquelas riquezas que ainda não estão vivendo e semeá-las para que a sua diocese possa vive-las”, afirma.

Dom Benedito, bispo da diocese de Presidente Prudente (SP), atuou como secretário eclesiástico nacional por oito anos, desde que foi nomeado pela CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) em 2010.

Em setembro, ele passará o posto para Dom Adair José Guimarães, responsável pela diocese de Rubiataba-Mozarlândia (GO), que também acompanha o XV Congresso.

Dom Benedito brinca dizendo que cuidou do ECC com o amor de um pai pelo filho. “Estou entregando uma criança bonita, saudável e fácil de ser criada”, completa.

Programação – O XV Congresso da Região Centro-Oeste do ECC começou na sexta-feira (27) e termina no próximo domingo (29). Neste segundo dia, as atividades começaram às 7h20 e estão previstas para terminar às 20h20.

Segundo dia do Congresso ECC terá círculos, painéis e palestras

Notícias, Todas | 28.jul.2018

Os participantes do XV Congresso da Região Centro-Oeste do ECC têm pela frente um dia repleto de atividades neste sábado (28). Após a recepção feita pela equipe de Acolhida, será celebrada a Eucaristia às 7h20.

Às 8h50 começará a primeira palestra intitulada “Família: berço da harmonia e da paz”. Às 9h40 haverá uma liturgia e depois do café, serão realizados os primeiros círculos de estudo, com início previsto para as 10h40.

Meio-dia, os congressistas participarão da palestra “Igreja: comunidade a serviço da unidade e da paz” seguida do almoço.

Às 14h10, os participantes voltam às salas para mais uma rodada de círculos. Em seguida, às 15h20, haverá uma reunião entre o assistente eclesiástico nacional do ECC, Dom Benedito com os sacerdotes e do casal regional com os casais diocesanos. Enquanto isso, os congressistas acompanham a palestra “Importância da formação”.

Logo após, às 16h10, começarão os painéis com diversos temas ministrados por representantes de diversas comunidades e paróquias.

Às 18h20, haverá a palestra “Ideologia de gênero seguida pela liturgia da noite às 20h e as atividades do segundo dia do congresso se encerram.